segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Já é dezembro!!!



Nossa! Abandonei meu pobre blog! Tanto o que fazer, que nem tinha me dado conta de que já é dezembro. Vai me dando uma aflição ver milhares de lampadinhas piscantes por aí. Não, aqui em casa não tem lampadinhas, não sou fã. Talvez quando houver crianças, mas ainda demora. Nos últimos meses minhas incursões culinárias enveredaram pelo mundo dos brownies e na tentativa de melhorar minha receita de brigadeiro para fins comerciais. Tem dado muito certo, apesar de que raramente dá tempo de fotografar, e às vezes eu me esqueço mesmo.

Musicalmente foi um semestre rico. As aulas de canto erudito estão começando, vejam bem, começando, a querer dar resultado. Mas ainda estou incerta sobre levar adiante uma carreira erudita. Assunto pra novela mexicana!

Sobre a produção de doces, vou postar a receita do bolo que fiz pro meu aniversário, que há muitos anos não comemorava com outras pessoas que não fossem o marido e foi a segunda vez na minha vida que fiz um bolo de aniversário pra mim. Desta vez  a comemoração foi num ensaio, e teve "Parabéns pra você" afinado!!! A foto ficou horrorosa, mas o bolo ficou sensacional!

Usei a receitinha deste blog: Technicolor Kitchen. Sou super fã da Patrícia. Ela é secretária, como fui durante anos, e também adora cozinha, especialmente os doces. Muito em comum!

Segue a receita com minhas alterações:

Bolo de Coca-Cola e chocolate com recheio e cobertura de coco e amêndoa

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
42g de chocolate amargo picado – usei 72% de cacau
2/3 xícara (160ml) de buttermilk*
3 ovos
1 ¾ xícaras + 2 colheres (sopa) de óleo – use um que não tenha sabor marcante, como o de canola
1 ½ colheres (chá) de baunilha
2 xícaras (400g) de açúcar
2 ¾ xícaras de farinha especial para bolos (cake flour)**
½ xícara (45g) de cacau em pó, sem adição de açúcar
1 ¼ colheres (chá) de bicarbonato de sódio
¼ colher (chá) de canela em pó
2/3 xícara (160ml) de Coca-Cola

Recheio/cobertura:1 xícara (90g) de coco em flocos adoçado – usei coco ralado comum
1 xícara (112g) de amêndoas em lâminas
2 latas (395g cada) de leite condensado

Para o bolo: pré-aqueça o forno a 175ºC. Unte três formas redondas de 22cm com manteiga ou cooking spray; forre o fundo de cada forma com papel manteiga e unte o papel também.

Leve o chocolate e o buttermilk juntos ao banho-maria e aqueça, mexendo com freqüência, até que o chocolate derreta (aprox. 7 minutos); não deixe o buttermilk ferver ou pode talhar. Retire do fogo e misture bem até obter um líquido homogêneo.

Na tigela grande da batedeira, bata ligeiramente os ovos. Acrescente o óleo e a baunilha, bata, e vá adicionando gradualmente o açúcar, até incorporar bem. Junte a mistura de chocolate e bata até homogeneizar tudo.

Peneire a farinha, o cacau, o bicarbonato e a canela. Em duas ou três adições, batendo bem entre uma e outra e alternando ingredientes secos e líquidos, coloque a mistura peneirada e a coca-cola na massa de bolo. Divida-a entre as três assadeiras preparadas.

Asse por aproximadamente 25 minutos (os meus bolos assaram por 35) e faça o teste do palito. Retire do forno e deixe os bolos esfriarem nas formas por 10 minutos; depois disso, inverta-os sobre gradinhas para que esfriem completamente, por pelo menos 1 hora.

Agora, faça o recheio/cobertura: pré-aqueça o forno a 175ºC. Espalhe o coco numa assadeira, numa camada homogênea. Leve ao forno por 5-7 minutos, dando uma sacudida na assadeira na metade do tempo, até que o coco comece a dourar. Transfira para uma tigela e deixe esfriar. Repita o processo com as amêndoas e deixe o forno aceso.

Coloque o leite condensado em um refratário, cubra firmemente com papel alumínio e leve ao forno, em banho-maria, por 2 horas, mexendo umas duas vezes durante o cozimento, até o leite condensado ficar com cor de caramelo. Sempre remova o papel alumínio com cuidado, pois o vapor pode causa queimaduras.
Transfira o leite caramelizado para uma tigela e misture bem. Junte o coco e as amêndoas (eu reservei um pouquinho pra polvilhar o bolo). Deixe esfriar um pouco, cubra com filme PVC, pressionando-o diretamente sobre o creme e leve à geladeira para que esfrie completamente, mas sem firmar demais (1 a 1 hora e meia).

Para montar: coloque um dos bolos em um prato ou suporte, com o lado plano para cima. Cubra com ¾ xícara de recheio, espalhando bem. Faça o mesmo com o segundo bolo e mais ¾ xícara de recheio. Finalize com o último bolo e cubra com o restante da mistura de doce de leite, deixando escorrer pelos lados.

Leve o bolo à geladeira, descoberto, por pelo menos 1 hora, até que a cobertura firme. Cubra então com uma tigela invertida até a hora de servir. Isso vai impedir que o bolo resseque e que a se forme uma crostinha na cobertura. Refrigerar o bolo também torna mais fácil a tarefa de cortá-lo; ao fazê-lo, use uma faca serrilhada, se possível mergulhada em água quente – este bolo é extremamente fofinho!

* aqui não temos buttermilk, então substituí da seguinte maneira: coloque 1 colher (sopa) de vinagre branco numa xícara medidora (240ml) e complete com leite. Reserve por 5 minutos e utilize.

** a mesma coisa ocorre com farinha de trigo especial para bolos, por isso usei 7/8 xícara de farinha de trigo comum + 2 colheres (sopa) de maisena para cada xícara de cake flour.

Rend.: 16-20 porções

Minhas alterações: acrescentei aproximadamente meia xícara de farinha de trigo e meia xícara de aveia em flocos porque achei que a massa tinha ficado muito molinha e substituí as amêndoas pelo dobro da quantidade de nozes levemente tostadas no forno e picadas grosseiramente. Assei em uma forma de 24cm x 8cm e cortei em três fatias. Fazer em três assadeiras ou em duas como na sugestão da receita acima, é bem mais fácil e menos arriscado, porque o bolo é bem macio. E também preferi cobrir com Chantili (500ml de creme de leite fresco beeeem gelado batido na batederia em velcidade alta com 3 colheres de sopa cheias de açúcar refinado até dar ponto de pico).

domingo, 18 de julho de 2010

Tortinhas mata tédio!

Na minha opinião, não há nada melhor pra matar o tédio que fazer um docinho. E nada melhor do que chocolate e morangos no inverno. São minhas frutas preferidas! Entre uma aula de canto e uma gravação, juntei a fome do maridão por chocolate com meu vício por morangos e fiz tortinhas. ADORO!!!


Tortinhas de chocolate com morangos

Massa: Pâte Sucrée (daqui)

200g de farinha
100g de manteiga sem sal
40g de açúcar (usei de confeiteiro)
2 gemas (usei três, eu só tinha ovos pequenos)
1/4 de colher de essêcia de baunilha (usei um pouco mais)
Morangos fatiados, o quanto baste. (opcional)

Peneire a farinha em uma tigela e misture a manteiga com os dedos. Junte o açúcar. Bata as gemas e a baunilha levemente com um garfo, junte à mistura de farinha e forme uma massa. Faça uma bola e leve à geladeira¹ por no mínimo 30 minutos. Abra a massa nas forminhas ou em uma forma de 20cm, com fundo removível. Faça furinhos com o garfo no fundo e asse até dourar levemente.

¹ Eu preferi colocar a massa nas forminhas e gelar depois. Usei forminhas de 7cm de diâmetro.

Recheio: Ganache de chocolate (adaptada daqui)
200g de chocolate meio amargo picado
200g de creme de leite fresco
30g de manteiga sem sal

Aqueça o creme de leite e despeje por cima do chocolate com a manteiga e mexa bem até derreter tudo. Se sobrarem pedacinhos misture com um mixer. Deixe esfriar até firmar e bata bem antes de utilizar.

Montagem:

Usei um saco de confeitar com bico pitanga para ficar bonitinho. Coloque o ganache no saco e preencha as tortinhas como preferir. Enfeite com os morangos fatiados e sirva geladinho.

Rendeu 20 tortinhas.
* Se preferirem mais docinhas, é só usar chocolate ao leite ao invés do meio-amargo.


sábado, 3 de julho de 2010

Pão de queijo da minha mãe

Olás! Hoje me bateu uma saudade de casa. É, apesar de já morar em São Paulo há 13 anos, continuo chamando a casa dos meus pais de casa. Não vou a Minas desde o Natal e de vez em quando a saudade aperta. Nessas horas, nada melhor que ir pra cozinha fazer um quitute reconfortante, como pão de queijo da minha mãe.
Segue a receitinha, timtim por timtim.




Pão de queijo da minha mãe

500g de polvilho azedo
500g de polvilho doce
200 ml de água morna
200 ml de óleo
200 ml de leite
1 colher (sopa) de sal
5 ovos em temperatura ambiente (ou 4, se forem muito grandes)
2 colheres de sopa cheias de sementes de erva-doce (opcional)
700 g de queijo meia cura ou canastra ralado fino

O quanto baste de leite para dar o ponto


Em uma bacia grande, coloque o polvilho e espalhe a água morna. Misture com as mãos o polvilho com a água, esfarelando com as duas mãos, quebrando as pedrinhas que se formarão. Esfarele bem, até que se forme uma espécie de farofa úmida. Reserve. Em uma panela pequena junte o copo de leite, o óleo, a erva-doce e o sal. Deixe levantar fervura. Derrame sobre o polvilho, fazendo círculos, escaldando-o. Deixe esfriar. Depois de frio, amasse bem. Acrescente os ovos incorporando-os um a um. Acrescente o queijo ralado aos poucos. Depois de amassar bem com todo o queijo, se necessário, acrescente aos poucos o leite, amassando até que a massa fique como uma pasta espessa e mole, mas que não escorra das mãos.

Cubra a bacia com filme plástico e deixe descansar na geladeira por, no mínimo, 4 horas. A massa ganha consistência de enrolar após o descanso.
Basta enrolar como preferir e assar em forno bem alto (250°C) pré-aquecido por aproximadamente 15 minutos. 

Não abra o forno até que a massa pareça sequinha e comece a dourar levemente em cima.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Nhoque em clima de copa do mundo e tarte tatin de maçãs

O tempo passou e eu acabei nem ficando tempo o suficiente aqui para escrever a saga da cozinha. Mas agora já nem faz mais sentido resmungar. Já está tudo em ordem e limpinho, com TODOS os armários devidamente cheios das minhas mil coisas de cozinha. Será um vício? ;)

Minha vida musical está uma loucura. Muitos ensaios, muita música pra estudar. O segundo semestre promete trabalho, isto me deixa bem feliz. Já a vida culinária deu uma estacionada e tenho feito quitutes somente pros meus amados de casa

Prometi um doce e um prato salgado. Aí vão. Um ótimo nhoque verde e amarelo, em clima de Copa no dia do jogo do Brasil e Tarte tatin de maçãs de sobremesa, porque era mais prático! :)
Os nhoques são receitas minhas mesmo. Adaptadas da receita de nhoque da minha mãe.
A tarte foi adaptada deste livro.





Nhoque Amarelinho (mandioquinha)

1kg de mandioquinha cozida e passada no espremedor
200g de farinha (ou só até dar uma liga)
1 ovo
50g de manteiga sem sal
sal e pimenta do ein a gosto (não coloquei pimenta do reino)

Misture bem até ficar uma massa mais molinha. Para usar o mínimo de farinha usei um saco de confeitar descartável para fazer os nhoques. É só ir apertando o saco devagarinho e cortando as "minhoquinhas" passando uma faquinha na ponta do saco de confeitar. O legal é que ficam com a mesma espessura e com um pouquinho de prática ficam mais ou menos com o mesmo comprimento.


Nhoque Verdinho (espinafre)

1kg de batata cozida e passada no espremedor
250g de farinha (ou só até dar uma liga)
1 ovo
50g de manteiga sem sal
sal e pimenta do ein a gosto (não coloquei pimenta do reino)
Um pouquinho mais que uma xícara de espinafre cozido processado (só as folhas)

O modo de fazer é o mesmo do nhoque de mandioquinha. Mas por causa do espinafre fica um poquinho mais mole. Resista à tentação de colocar mais farinha. Para cozinhar o espinafre, coloque um,a panela limpa no fogo e espere esquentar um pouquinho. Coloque as folhar de espinafre lavadinhas e vá virando para não queimar, até murchar. Não precisa acrescentar nenhuma gotinha de água. A verdura já tem bastante.


Para acopanhar os nhoques fiz dois molhos, que esqueci de fotografar. Um de tomates com frango manjericão e tomilho e outro branco com sálvia.

Molho de tomates com Frango

1 peito de frango pequeno, cozido em água e sal e desfiado
1 xícara de caldo de frango
4 dentes de alho
azeite para refogar
1,5kg de tomates italianos maduros e firmes sem pele
sal e pimenta do reino a gosto
Manjericão e tomilho a gosto

Refogue o alho no azeite,coloque o frango e refogue. junte os tomates e mexa bem. Junte o caldo de frango. Deixe apurar em fogo baixo. Acerte o sal e coloque as ervas.


Molho de sálvia e alho

50g manteiga sem sal
500 ml de creme de leite fresco
4 dentes de alho
20 folhas de sálvia

Derreta a manteiga. Quando estiver bem aquecida junte o alho. Refoque até murchar. Junte as folhas de sávia e refoque rapidamente. Depeje o creme de leite e mexa até ferver.




 













Tarte Tatin

400g de massa laminada para tortas Arosa (falta de tempo de fazer massa caseira)
1,5kg de maçãs gala cortadas em 8, sem casca e sem semente
100g de manteiga sem sal
230g de açúcar
2 colheres de sopa de áqua filtrada
1 fava de baunilha cortada e com as sementinhas raspadas com as costas de uma faquinha pontuda.


Deixe a massa Arosa descongelando enquanto prepara as maçãs. Pré-aqueça o forno a 200°C.
Faça um caramelo com o açúcar, a água, a manteiga e a baunilha. Quando começar a dourar mexa o caramelo com uma colher de pau ou espátula de silicone que aguente o calor. Coloque as maçãe e deixe cozinhar por mais ou menos 8 minutos. Coloque no fundo de uma assadeira de 24cm e reserve.
Abra a massa arosa e corte no diâmetro da assadeira. cubra as maçãs com a massa e leve ao forno até a massa dourar. Vire num prato e sirva morninho com sorvete de baunilha ou chantili.

domingo, 13 de junho de 2010

Enfim!!! Tudo pronto e um bolinho pra comemorar!

Durante a semana escreverei a historinha! Por enquanto fiquem com o resultado da minha aventura cheia de poeira! Quando me estresso produzo isto!


A foto e a decoração ficaram mais ou menos, mas terminei ag... on Twitpic

terça-feira, 8 de junho de 2010

E por uma semana minha casa virou a Casa da Mãe Joana!

Há mais ou menos uma semana prometi um doce com receita nova e quem sabe um salgado! Ainda não deu... Acreditem, desde o dia 01 de junho estou às voltas com a montagem dos armários da minha cozinha, que, diga-se de passagem, é bem pequena.
Comecei o processo toda feliz (tonta!). Prometeram a entrega dos móveis no dia primeiro. Chegaram às 8h da manhã. Primeira entrega! Fiquei super contente, afinal, não precisaria ficar de plantão o dia todo.

Já disseram que felicidade de pobre dura pouco???

Na quarta-feira começou a novela. Marcaram o início da montagem para as 9h da manhã. Chegaram às 8h. Até aí, tudo bem. Mas, foi aí que começou a palhaçada. Montaram as caixas dos armários (o dia inteiro e não montaram tudo). E foram embora. Na quinta foi feriado. Marido escorregou na serragem, caiu feio, bateu o pé em uma das caixas que estava montada num canto da cozinha. Quebrou o dedo e ficou imobilizado. Minha casa e o marido de pernas pro ar – o marido só o pé mesmo. Na sexta prometeram chegar às 9h e chegaram às 10h. E começou um entra e sai de mais ou menos umas seis pessoas diferentes. Eu nem atendi mais meu interfone. Eles já estavam familiarizados, tomaram posse mesmo. Também não tranquei mais a porta, pra quê? A cada dia que se passou o volume de serragem e poeira aumentou em progressão assustadora. Lascaram a pintura da porta da cozinha, quebraram a tampinha da campainha, arranharam meu fogão e minha pia novinhos... enfim, uma tortura à brasileira... Além do cheiro das colas, resinas e solventes. Até os gatos mudaram de cor, tamanha quantidade de pó. Estão lá ainda. Colando, arrematando (enfim!!!) e com sorte terminarão esta confusão hoje ainda.
Post com comida só na semana que vem... não posso fazer nem café!

domingo, 30 de maio de 2010

Justificando a ausência e uma cozinha arrumadinha!!!

                         
                Antes de enviar o post anterior tinha ficado um tempão longe do blog , por preguiça de escrever e também porque tinha ficado janeiro e fevereiro em Gramado fazendo shows divertidíssimos. Depois quando voltei a São Paulo, já em março, tinha acabado de me mudar pra um outro apartamento e estava quase tudo de pernas pro ar. Arrumação demooooora. Meu fogão querido estava de folga, porque estava sem uma mangueira de cobre pro gás, porque agora ela encosta atrás do fogão, então a comum não serve (derrete!). Foi uma saga encontrar a tal mangueira, mas deu certo. E além disso estava (ainda estou) lavando louça no tanque... Tortura! Depois do fogão em ordem com sua "magueiritcha" me deu um surto culinário afinal, fiquei quase cinco meses sem assar um bolo!) e fiz montes de doces de uma vez. Até alguns que não tiveram a chance de ser fotografados.

Nesta semana não haverá post de gostosuras, a cozinha passará por uma cirurgia plástica e receberá armários novinhos em folha para guardar todos os montes de apetrechos culinários que amo colecionar, por motivos óbvios! He, he!

Então, na outra semana prometo fazer um doce delicioso e se a empolgação deixar um belo prato salgado - que ainda vou escolher - para inaugurar a nova cozinha! Posto tudo com as respectivas receitas.

Boa semana!!!

domingo, 23 de maio de 2010

Post triplamente doce!

Este blog ficou tanto tempo abandonado que achei por bem voltar aqui com post dulcíssimo e triplo!

Na semana passada foi aniversário do sogrinho e sabendo de antemão que ele ama bolo de fubá resolvi fazer a receita da Patrícia Scapin, que tem um blog ótimo e com receitas idem (para a mesma ocasião adaptei também esta receita aqui - minha foto ficou tosca, mas também fez o maior sucesso, por isso o post triplo). Sempre dão super certo, claro, porque ela já teve o trabalho de testar e tem a generosidade de postar tudo nos mínimos detalhes, além de ter fotos sempre lindas (eu chego lá!). Bom, seguindo o bom exemplo da Patrícia, vou postar aqui a adaptação que fiz pro bolo de doce de leite e toda a receita do bolo de pêras, o bolo de fubá podem ver aqui e aproveitar para sapear todo o blog que ótimo (já disse isso???).

Vamos lá:


Bolo de Doce de Leite da Patrícia à minha moda

Bolo:
4 ovos (temperatura ambiente)
125g de açúcar (peneirado)
125g de farinha de trigo (peneirada)
50g demanteiga sem sal derretida e fria
1 col. sopa de essência de baunilha
50g nozes picadas grosseiramente

Calda para umedecer o bolo:
1 xícara de água
1 colheres de sopa de açúcar
1 pedacinho de pau de canela
1 cravo da índia

Recheio e Cobertura:
480ml de creme de leite fresco
1 xícara de doce de leite cremoso
Usei mais duas colheres de sopa de doce de leite (derretidinho no micrroondas e quase frio, mas ainda molinho) para marmorizar só a cobertura. O recheio fica bem suave.


Pré-aqueça o forno a 180ºC, prepare duas assadeiras de 20cm de diâmetro forrando o fundo com papel manteiga e untando toda a assadeira (as duas!) com manteiga e enfarinhando.

Bolo: Em uma panelinha coloque os ovos e o açúcar. Misture bem (usei um batedor - fuet - com aros de silicone), leve ao fogo baixo batendo sem parar até atingir uma temperatura de mais ou menos 35°C. Desligue o fogo e leve esta mistura à batedeira até ficar cremoso, claro e dobrar de volume. Adicione a essência e bata mais um pouquinho. Desligue a batedeira e misture levemente metade da farinha com uma espátula ou colher de pau, sempre de baixo para cima. Quando incorporar, misture o restante da farinha e as nozes. Aí misture muito levemente a meanteiga. Divida nas duas assadeiras. Vai parecer pouco, mas fica bacana. Não cresce horrores, mas fica fofo. Leva mais ou menos 30 minutos para assar, convém fazer o teste do palito.

Calda: Ferva tudo numa panelinha, até ficar com cara de chá, bem perfumado, reserve.

Recheio e cobertura (copiadinho ipsis literis do site da Patrícia):

Coloque o creme de leite fresco no freezer por 4 minutos.
Numa tigela bem grande resfriada e com batedores também resfriados, misture o creme de leite e o doce de leite. Bata em velocidade baixa para dissolver o doce de leite. Aumente para velocidade média-alta e bata até obter a consistência de chantilly (picos duros).

Montagem (tb copiado do Technicolor, mas com pequenas variações): coloque um dos bolos num prato ou suporte com o lado liso para cima. Pincele com a calda para umedecê-lo por igual. Cubra com cerca de 1 xícara do creme de doce de leite, espalhando bem, mas deixando um centímetro de beirada sem recheio. Pincele o outro bolo com a calda e sobreponha o bolo já recheado. Cubra o topo e as laterais do bolo com o creme de doce de leite restante. Fiz linhas sem forma com o dece de leite molinho e com a ponta de uma espátula fui fazendo pequenas espirais, misturando o creme clarinho com o doce mais escuro, assim vai ficando marmorizado.

Minha foto ficou tosca, mas o bolo ficou ótimo! Não sobrou nadinha!




Bolo de Pêras
(adaptado daqui)

Cobertura:
6 pêras
2 colher de sopa de manteiga sem sal
1/2 xícara de chá de açúcar
1 colher de chá de canela

Massa:
100 g de margarina (usei manteiga sem sal)
300 g de açúcar (peneirados)
3 ovos (em temperatura ambiente)
1 colher de café de essência de baunilha (coloquei uma de sopa)
230 g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento (coloquei uma de sopa)
1/2 xícara de chá de leite (usei a mesma medida de coalhada)
manteiga para untar
farinha para polvilhar


Pré-aqueça o forno a 190º. Descasque as pêras ecorte em quatro partes. Leve ao fogo médio até caramelizar, com a manteiga e o açúcar. Deixar cozinhar até ficar dourado.
Unta-se uma forma redonda de 24cm de diâmetro com manteiga e forra-se com papel manteiga (faça uma aba um pouquinho mais alta com o papel manteiga, para não correr o risco da massa  transbordar da forma).

Depois de caramelizadas, despeje as pêras na forma preparada e reserve.

Só agora comece a preparar  a massa.

Bata a margarina com o açúcar e acrescente os ovos um a um, em seguida a baunilha, diminua a velocidade da batedeira para o mínimo e junte o leite. Misture a  farinha e o fermento com uma espátula, sempre de baixo para cima.Despeje na forma, por cima das pêras.
Leve ao forno por cerca de 40 minutos. Desenforme ainda quente e decora-se com cerejas e figos cristalizados.

Eu não tinha figos nem cerejas, mas acho que nem precisava! Também nem ia dar tempo! HAHAHA! Marido e eu comemos logo depois que tirei a foto.